Rádio Bandeirantes Imbituba - A difusora dos nossos corações!

X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Sem comida, quase 70 milhões de aves morrem por causa da greve

Associação de produtores afirma que caminhões com milho, soja e outros produtos para manter os animais são impedidos de circular em 300 pontos de 22 estados

Por: Gabriela David - Dia: - Em: Notícias

Sem comida, quase 70 milhões de aves morrem por causa da greve
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Os bloqueios que impedem a circulação de caminhões com rações, insumos para a produção da alimentação animal e outros produtos já deixaram quase 70 milhões de aves mortas, segundo estimativas da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Outras 120.000 toneladas de carne de frango e carne suína deixaram de ser exportadas desde o início da greve dos caminhoneiros, que já está no seu nono dia.

Segundo levantamento feito pela entidade, os caminhões que transportam milho, soja e outros produtos para manter os animais são impedidos de circular em mais de 300 pontos de 22 estados em todo o país. Além dos bloqueios, de acordo com a associação, há relatos de ameaças a motoristas que querem deixar a paralisação.

Em nota, a ABPA afirma que os animais mortos são colocados em composteiras dentro das propriedades, mas o sistema já está no limite de sua capacidade para abrigar os corpos. “O risco ambiental e de saúde pública é crescente. Cerca de 1 bilhão de aves e 20 milhões de suínos ainda estão em risco de morte como consequência direta dos bloqueios”, diz o comunicado.

A entidade também afirma que todos os esforços estão sendo realizados por avicultores, técnicos do setor, colaboradores da cadeia produtiva e, inclusive, motoristas que não concordam com a continuidade da greve para diminuir os graves impactos causados pela paralisação.

“A situação é alarmante para todo o setor. A continuação dos bloqueios para produtos alimentícios, rações e animais são um grave risco para o País e exigem uma ação forte e imediata do governo. Não é mais possível esperar”, diz o texto.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui: